terça-feira, 20 de março de 2012

A TI, PAI




As velas apagaram-se
Mas o silêncio comunga a dor
De quem partiu sem retorno

Na foto sorris ainda
Sereno com que partiste
Mas levando também
A tristeza de não voltares a ver
O chão que te viu nascer

Prometi junto ao mar
E hoje voltei a fazê-lo
Por ti, por mim, por todos
Que um dia havia de lá voltar
Com as minhas mãos agarrar
E pelos dedos escorrer
Terra vermelha que nos viu nascer

Flores tiveste em vida
Com que amor as cuidavas
Fossem as mais singelas
Ou mesmo as mais delicadas

Hoje sinto que o orvalho
És tu que estás a tratar
Do mais belo canteiro
Que possa existir no Céu…

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO