domingo, 11 de março de 2012

ESCREVER PARA TI




Queria agarrar na minha pena
Escrever-te tudo o que sinto
Com palavras meigas e doces
De emoção com ardor meu

Não importa o papel
Nem mesmo a tinta
São promessas ditas
Sentidas, gravadas na alma

Basta um olhar de ti
Que palavras soam a mais
Em silêncio calam tanto
De proferir que ecoam em nada

Bem profundo está inscrito
Em tinta que não pode escrever
Nossa chama de um amor
Pois é lava de um vulcão a derramar…

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCOBRIR-ME...