quinta-feira, 20 de junho de 2013

ANOITECE

ANOITECE

A noite vai caindo

Uma última réstia de sol esquecida
Pelas nuvens que o afaga,
Vai escurecendo minha alma,
Como o bater das ondas ligeiras
Quando morrem na praia

Mar que molhas minha solidão,
Levas para bem longe as tristezas
Em lágrimas diluídas com sabor a sal

Angústias profundas
Trazidas à tona,
Como um barco afundado
Sem âncora nem arrasto…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário