quarta-feira, 12 de junho de 2013

DESNUDAM-SE OLHARES



Tuas mãos ao tocar o ombro,
De mansinho,
Faz-me sentir arrepios

Teu olhar clama palavras doces,
Que me despem lentamente
No silêncio da noite

Prende-me a ti
No aconchego de beijos,
Em deleite de afagos,
No calor do teu regaço

Vibro em tua voz suave,
No sonho, quão desejos
E vontades sussurrando
Promessas íntimas da alma

Dou-te as mãos
Para que mostres o céu,
Entregando-me, amor…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

AO TELEFONE TUA VOZ, NOSSO DESEJO