sábado, 22 de junho de 2013

APENAS NUM OLHAR

APENAS NUM OLHAR

Ah como gosto de te olhar,
Ver como acaricias teu cabelo,
O teu sorriso,
E como te moves

Ah como gosto de te olhar,
E saber que te enlouqueço, olhando,
Como te provoco,
E vou despindo nesse olhar

Ah como gosto de te olhar,
E porque te vejo, assim
Simplesmente,
E apenas num olhar…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário