quinta-feira, 13 de junho de 2013

OLHAR PROFUNDO



Vejo-te
Porque é a ti que quero ver
Olho sem falar
E medito cada palavra

Minha alma sente
O que os lábios não dizem
Meu profundo olhar
Silencia promessas ocultas

Olhos espelhos da alma
Diz-me que te direi
Que em afagos e carinhos
Deliciam tua paixão

Penas que nos cobrem
Para que valem?

Nossos sentidos degustam
O despir dos corpos
Ao prazer do olhar

Vês-me
Porque é a mim que queres ver!


Fátima Porto
In “ecos d’alma”
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

PEDRAS DA CALÇADA