sábado, 29 de junho de 2013

SILÊNCIO DE MIM

SILÊNCIO DE MIM

Lentamente,
Pés vincados
Na fina areia molhada
Tudo desejo de mim
Num silêncio de perguntas
Em eco sem respostas

Voam pensamentos
Que atordoam
E turvam minh’alma

Mar
Que me encantas
Procuro em ti, segredos
Mas nada me dizes

Deixa que minhas lágrimas
Se misturem nas águas
Abafando os soluços
Na espuma das ondas

Docemente uma brisa passa
Secando as lágrimas do rosto
E desviando minha imaginação
Para bem longe…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

PEDRAS DA CALÇADA