segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

BOCA CALADA




De boca calada
Voam meus pensamentos
que falam mais alto
e gritam

Não preciso falar
para dizer o que sinto
pelos olhos sinceros
minha alma mostra

Sem abrir a boca
gracejo
brilho
dou risadas

De peito aberto
mostro aquilo que sou
sem uma palavra

Amar
Querer
Desejar
palavras que digo
sem abrir a boca

Mas mesmo assim, calo
Sentenças mudas
Faladas em olhares de horizontes
Nos ecos distantes…

Sem comentários:

Enviar um comentário

PEDRAS DA CALÇADA