terça-feira, 17 de janeiro de 2012

CASTELOS




Doce imaginação
Em sonhos enfim
Cativa em meu castelo
Em lutas
Guerras
Gritando
E não me ouvindo

Meu castelo desvaneceu-se
Além no horizonte
Como o fumo de um cigarro
Ou nuvens num céu tenebroso

Ficam pedras
Recados
Mensagens
Como um náufrago não querendo afundar
Pedindo ajuda no meio do oceano

As pedras que restaram
Vou reconstruir meu castelo
Mais forte
Mais seguro
Para poder ajudar
Mesmo quem não me ajude

Não virarei costas
Meu Porto Seguro do meu Castelo
Como em tempos fizeram
Dou na mesma a mão
Assim quererem entrar
Estarei pronta a receber...

In CAPAS

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCOBRIR-ME...