segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

MEU SONHO SONHADO





Vou cerrando os olhos
Calmamente
Para não acordar
De meus delírios
Fictícios

São como contas
Suplício que trago em mim
Arrebatando
Meu alento

Sofro que estas em mim
Abrangendo
Planeando
Tocar meus lábios fechados

Quase que acerco sentir
Esse desejo
Tão ténue
Mansamente
Querido

Mas é apenas uma ilusão
Autêntico nada subsiste…

Sem comentários:

Enviar um comentário

É NA PENUMBRA