terça-feira, 10 de janeiro de 2012

RÉSTIA DE LUZ




De espinhos cravados
Num túnel de ideias enleadas
Procuro um caminho
Onde brilhe a esperança

Oh alma crucificada
Em sangue seco
Sara as chagas profundas
De um coração que se arrasta

Réstia de luz que brilha
Guia meus passos trôpegos
Pelos trilhos da Vida…

1 comentário:

  1. Olá andava a pesquisar na net e encontrei o teu blog cheio de plena magia,adorei a tua poesia,simplesmente delicada e muito profunda, também escrevo poesia, se quiseres visitar estou á tua espera...beijinhos de sol
    Paula lourenço

    ResponderEliminar

RENDER-ME AO CASTIGO