domingo, 29 de janeiro de 2012

O MEU SOFÁ




Recostada, concebo
Sonhos
Quereres
E fechando os olhos, dou largas à imaginação

Eu aqui sentada apenas envolta num véu
Tu vens docemente
Tuas mãos percorrem o meu corpo

Tua boca beija suavemente meu rosto,
Pescoço
Fazendo soltar uma excitação inicial em nós,
de um querer sem pudores e tabus

As minhas mãos, língua,
Exploram o teu corpo
Aconchego-te a mim
Sinto o teu peito no meu
O bater descompassado dos corações

O véu vai caindo
Por fim, o beijo sôfrego,
Onde as línguas se entrelaçam como num abraço
E...
Ele ali está

Rolamos para ele
E saciamos nossa vontade louca
Nossos corpos unidos
O prazer é levado à exaustão
Murmúrios
Ais
Sussurros de prazer
Beijos quentes em corpos suados e cansados


SOFÁ da imaginação
SOFÁ da realidade

O MEU SOFÁ.

1 comentário: