quinta-feira, 4 de abril de 2013

FACTOS VÃOS




Passo a passo
Em silêncios de mim
Abafo os gritos
Dores e sofrimentos

Vou trilhando caminhos
Empurrada por uma alma despedaçada

Em solidão
Pouso minhas mãos vazias no regaço
E sinto as angústias d’um amanhecer
Nas paredes frias e ocas
D’um quarto escuro inventado em mim

Como dói cada passo que dou
E que lentamente carrego
Mas que me vai mostrando
As estrelas que ainda não deixaram de brilhar…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

SENTIMENTOS SEM PALAVRAS