quinta-feira, 18 de abril de 2013

FEITIÇO D’ANGOLA




Feitiço de águas calmas,
Aquecidas e iluminadas p’lo sol,
Acalentam meus sentimentos de saudade
Fazem vibrar o meu coração

Fecho os olhos
E vejo-te,
Sinto-te,
Sinto teu cheiro,
E quando sonho,
Transporto-me para outra realidade

Sou uma feiticeira
De um mato reluzente
À luz d’um por do sol quente

Ou nas ondas da imaginação,
Uma sereia africana,
Surgindo das águas
Aromatizadas e serenas
D’uma praia qualquer

Quanto feitiço num planalto
Ou nas miragens ao horizonte
Em que o deserto é rei

Só poderia ser mesmo,
Feitiço d’Angola…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário