terça-feira, 23 de abril de 2013

LIVRO DA VIDA




Em linhas mal traçadas
De saudade
Ou fantasia,
Meu livro em tristezas
Escreverei um dia

Desgostos de minha alma
Penas de meu expiar,
Chorar sem lágrimas ter
Quis destruir da vida
Porque ainda dilaceram,
Ferem

Escrevo em folhas
Os dias do meu viver,
Com tinta de sangue colhida,
Tempestades vencidas
Em tanta dor sofrida

Esventro-me
Para alívio
De alma,
Mas confesso calada
Em letras,
E junto páginas de dor
Ao livro da minha vida …


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

POUSAS AO DE LEVE