ALGODÃO, CAFÉ, SISAL

ALGODÃO, CAFÉ, SISAL

Olhei à minha volta
E lágrimas corriam p’lo rosto
D’uma saudade anunciada

Tentei gravar o cheiro ao pordo sol
Sob o vento das acácias

As águas da praia despedem-se
Espraiando serenamente,
Nas sombras nostálgicas das palmeiras

Quero voltar a escrever-te
Em folhas alvas de algodão,
Com tinta perfumada p’lo café,
Num livro d’emoções fortes,
Como o sisal

E o pó vermelho envolverá minhas lágrimas…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

FIM DE LUTA

VIVENDO O AMOR