quinta-feira, 9 de abril de 2015

UM POUCO LOUCA

UM POUCO LOUCA

De pés amarrados
Num trilho de desgraças
Árduo, doído
Desato os nós
Que impedem meus passos

Quero desprender,
Desatar,
Para correr
Em passos largos
Nos caminhos da fantasia

Deixem-me
Ser um pouco louca,
Sem nós que me prendam
À minha existência…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

1 comentário:

  1. Neste mundo... "De bobo e de louco todos têm um pouco"

    (http://joe-ant.blogspot.com)

    ResponderEliminar

A MUDANÇA ASSUSTA