quinta-feira, 28 de julho de 2011

AUSÊNCIA


Entreguei-me a ti
por amar tanto
causando dor
sofrimento
angústia
Vivo só
nesta amargura
sentindo falta de beijos teus
Como abraços me cobriam
ternos
doces
e quentes
Choro ausência tua
em lágrimas
como o orvalho da manhã
frias e salgadas
como as àguas do mar
Mas sei que tu virás
meu Amor
para meu Castelo destruído
envolto em heras e em flor....

Sem comentários:

Enviar um comentário