sábado, 16 de julho de 2011

AO ENTARDECER


Enrolo-me
agarro-me
a ti
como a hera à àrvore
sedenta de teus beijos
abraços meigos
doces caricias
vividas a dois
numa floresta de desejos
onde nossas seivas
se misturam
em uma só
Teus braços aconchegam
este doce amor
embrenhando-se em mim
todo esse calor
enrolando-me
em beijos sem fim...

sexta-feira, 15 de julho de 2011

QUERO - III

Sem subterfúgios
de coração aberto
vou deixar a alma falar
palavras,sentidas,mercidas
Quero um dia chegar ao alto
d'um penhasco e gritar
que apesar dos meus rabiscos
alguém os leu e releu
lhes deu grande valor
Quero dizer que sinto
Amizade não é palavra vã
há um doar permanente
naquilo que se acredita
Galardões, homenagens
honrarias com flores
quero que sejam em vida
para subirmos mais alto
no voo da nossa Vida
Quero-te dizer AMIGO
que a minha é mais singela
sem diplomas ou recepções
minha poesia simples
como é o meu viver
minha AMIZADE sincera
sem CAPAS tal como eu sou...

MINHA SINCERA HOMENAGEM PORQUE "QUERO" AO ANGELO VAZ
(Inédito/Fatima Porto)

QUERO - ll

Mar intenso
que puxas e sugas
sentimentos e quereres
lavas desejos
Quero seguir-te
de mãos dadas
lado a lado
olhar no horizonte
Quero!
Não importa
remoinhos
remar contra a maré
Mas quero
palavra de tem força
Força que alimenta sentimentos
a Vida
E sem falar
apenas mão na mão
eu digo QUERO...

(Inédito/Fatima Porto)

QUERO - l

Ir de encontro
às brumas do mar
sentir meus pés molhar
não olhar p'ra trás
dum passado magoado
e banhar meu corpo
minh'alma
rasgada
ferida
em àguas quentes calmas
Quero
lavar-me
expurgar-me
do mal dentro de mim
desnudar-me
do resto que ficou
Quero
ser eu
de corpo e alma...

(inédito/Fatima Porto)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

A POESIA

Eu canto à rima
à ode
à proza
Porque é Poesia
Canto ao amor
à esperança
à alegria
porque é Poesia
Eu canto à vida
à tristeza
à morte
porque é Poesia
Canto ao fazer amor
aos corpos nus
em êxtase
porque é Poesia
Canto eu ser eu
por amar
e ser amada
Porque é Poesia...

UMA PONTE

Dois seres
duas margens
um elo
uma ponte
Forte ligação
de passagem
de emoções
pensamentos
quereres
desejos
Uma ponte
forte,coesa
onde dois seres
se encontram
não nos extremos
onde mal se tocam
mal se vêem
e se falam
Ponte da vida
onde floresçem e se criam
no verde da esperança
amores que ultrapassam barreiras
distâncias
porque de mãos dadas
olham em frente
na Ponte da Vida

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O RELÓGIO

Pára relógio
que o tempo é nosso
do sentimento
do amor
do envolver
Pára relógio
nossos corpos nus
sedentos d'um amor
quedam-se ao teu toque
Pára relógio
caricias e afagos
em lençóis de seda
numa cama beijada por nós
Pára relógio
o quarto é nosso mundo
onde cheiros e sabores
invadem todos os poros
Pára relógio
porque aos gemidos
e sussurros da loucura
o tempo parou e o relógio
também...

PUZZLE

Nos mistérios da vida
fala a alma
e os olhos
da boca nem uma palavra
nossos quereres
desejos
ansiedades
mas falta sempre
uma peça do Puzzle
para estar completo
Olhos nos olhos
mãos nas mãos
sentimentos que se cruzam
estravazando o peito
distâncias perdidas
Falta a peça do puzzle
que vou procurando
dentro do meu Ser
escondida
perdida
talvez por desvendar
Mas falta a peça do puzzle...

terça-feira, 12 de julho de 2011

SOL QUENTE

Pôr do sol
tarde quente
dia de mistério
Noite que me faz pensar
andando à beira mar
Uma praia
deserta,talvez
sendo minha sòmente
Oh como queria agora
ter-te no meu pensamento
com toda a minha paixão
nesta noite
nesta praia
onde calores se misturam
sentindo a leve brisa que passa
acarinhar suave dos cabelos
olhos pedindo um beijo
Sentimentos aquecidos
por um pôr do sol
uma noite norma
numa praia deserta
talvez...

SIMPLES CANETA

Pego na caneta
para te escrever
poemas
cartas
Mas meu pensamento
corre mais depressa que eu
e eu voou até ti
Sinto-te presente
mesmo ausente
os desejos
quereres
a ânsia de um beijo
o toque suave
de tuas caricias
palavras meigas
ditas em sussurro
Mas o meu pensamento voou
de caneta na mão
de página em branco
do sentimento que sinto....

OUTONO

Folhas caem
mortiças
velhas
no arrastar do tempo
A brisa passa
breve e serena
tocando meu rosto
Em meus pensamentos
imagino-te aqui
recostada ao teu peito
num doce entardeçer
Uma a uma
as folhas de outono
esvoaçam
em torno de mim
Sinto tua voz
em grito sufocado
chamando por mim
como as àrvores
que se desnudam ao frio
numa tarde de outono...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

NA CORDA DA VIDA

P'la noite escura
sigo minha viagem
levando comigo
tudo e nada
apenas "eu"
Não vou voar
nas asas da imaginação
basta escorregar
e voltar a cair na vida
Pé ante pé
devagarinho
numa corda bem esticada
seguir em frente
sem fazer equilibrismos
Lua que por mim clama
com tua luz prateada
seguindo-te
sei que chegaria
a um porto de calmaria
Mas a vida que eu quero
é de ter os pés na Terra
sorrindo
amando
mas ser como ela é...

CAMINHANTE

Parto
por esses caminhos errante
à procura do "eu" perdido
levando na bagagem
sonhos e tristezas
por desvendar
Não há sol que aqueça
o frio que em mim transborda
a não ser a paz
que procuro
doutrora tambem perdida
Meus pés sangram
por mim
d'um peso que em si carregam
em caminhos tortuosos
cravados de pedras
como se de meus pecados fossem....

domingo, 10 de julho de 2011

O PINTOR

Com tal maestria
na mistura de tintas
o pintor
em seu quadro
dá largas ao sentimento
esqueçendo
o próprio mundo
em telas
pinçéis
e tintas
Entrega a sua alma
devotando à pintura
choro
riso
triteza
alegria
até mesmo uma paisagem
prostrada a seus pés
Na silhueta da mulher
tem um olhar diferente
como Degas no bailado
outros em simples nus
Da beleza do pôr do sol
um barco na praia
ou um abstracto
para as mãos de um pintor
é a vida que retrata...



UMA HOMENAGEM AO PINTOR E AMIGO = ANGELO VAZ = PELO SEU ANIVERSÁRIO NO DIA 08/07/2011.

MINHA SOLIDÃO

Descanço
só dentro de minh'alma
do frio que me embala
nesta solidão
Memórias que não se apagam
feridas que sagram
e eu só
Dor latejante
que me persegue
e corroi
Quero deixar de pensar
fechar os olhos
e tentar esqueçer
páginas d'um livro
que não foram apagadas
e que amortalham
e aindam rasgam
vidas que não vivi
E só
vou-me aqueçendo
dos restos
para não dizer que morri...

LÁGRIMAS E DOR


Paixão não é Amar
em turbilhão de querer
possuir outro ser
Mas que revolta dá
a dor da vida
entre quatro paredes
Paixão com ciume
só pode dar
uma existência negra
maltrada
espezinhada
como se nada valesse
Calam-se bocas
por vergonha
ou timidez
escondendo lágrimas de dor
Viver por viver
é nada
aguentar até poder
Vida inútil
triste
angustiada
chorando lágrimas de sangue
d'uma alma trocidada
na valeta da estrada...