domingo, 31 de julho de 2011

FARDO E FARRAPO


Sinto-me um fardo
um farrapo
fecho-me sozinha
sem ouvir ninguém
Vozes em turbilhão
ecoam sem sentido
tirando-me o norte
o presente
pondo ausente
Quero o gosto do futuro
mas minha boca
tem um sabor acre
fel que me atiraram
para envenenar
matando lentamente
Deitei fora
cuspi
lavei-me com o sangue
das feridas de minh'alma

AMANHECER


Acordar com um sorriso teu
em doces brincadeiras
sentir tua ternura
paixão
desejo
Tudo faz parte
até mesmo nossos medos
mas porque nao guarda-los
bem fechados num baú
deitando a chave ao fundo do oceano
Um sorriso p'la manhã
dá alma nova
esqueçendo as tristezas
e indecisões da Vida
Oh como por vezes
nos pregam partidas
e fazem seguir por atalhos
com receio de seguir em frente
Quero dar boas gargalhadas
para nada perder
começando p'lo amanheçer....

VIAJANDO NO ESPAÇO


Na tua nave
o astonauta viaja
até mesmo no espaço do Amor
Com tuas palavras
que atigem certeiras a alma
no universo
de teus amigos
entrega-se
doa-se
sem olhar ao receber
Bom astronauta vê de sua nave
as tristezas
melâncolias
revoltas
mas só que é Paz
nem que através de tuas palavras
e nas "entrelinhas"
dê um "puxão de orelhas"
para que o Amor
alegria
e sobretudo a Paz
volte a reinar
A tua nave abarca
não só a Terra com Amigos
mas um Universo
que é a tua Alma de entrega
de Poeta
Amigo
já pouco existe
e há que preservar
Como agradeço ter-te conheçido
astronauta que viajas
libertando Paz
fazendo-te esta singela Homenagem
e aplaudindo-te de pé....

sábado, 30 de julho de 2011

CORPO


Tens-me aqui
em onda de prazer
de paixão
secumbindo a teus devaneios
desejos e quereres
onde meu corpo
por ti será descoberto
Me degustarás
sentido o cheiro de mim
explorarás
os cantos mais recônditos
do meu ser
Far-te-ei vibrar
em estimulos
de um vibrar de querer mais
no teu corpo
em meu copro....

AO VENTO


Quero sentir-te
oh vento
refrescar meu sentimento
até mesmo falar calada
dos gritos que o eco
nao trouxe
Levantas-me o vestido
mostrando bem as coxas
como se fosses alguém
querendo ver-me despida
em corpo
e alma
Meus cabelos esvoaçam
quando rodopias em mim
estou toda entregue a ti
como se fosse pr'amar
Ah se tivesse asas
e pudesse voar...

EM LOUCURA


Sou louco
e mais me deixas
quando provocas
e depois dizes NÃO
Sei que esse nao é teu querer
porque de todos os homens
só eu não te procuro
Mas é de mim que tu queres
para que eu te vire do avesso
te tire do sério
rasgando todo o meu desejo
Em loucura quero de mais
deixa tocar-te de mansinho
encaixar nossos corpos
sentir-me bem dentro de ti
Querida
não importa o local
vamos gozar em loucura....

ESCONDIDA


No meu canto
Não quero a fuga
Tão pouco também solidão
Como dói meu peito
De tanta tristeza que tenho
Como dói a ver
Através da minha janela
Cantar alegre de pássaros
Em seu trinar feliz
Chapinhando na água fria
Ali no jardim
Como queria essa emoção
Outrora já vivida
Hoje só sinto tristeza
Querendo estar só
E falar comigo mesma…..

sexta-feira, 29 de julho de 2011

DOR E MÁGOA


Desencanto
De meu coração
Rosa murcha sem abrir
Calcada
Pisada
Na calçada
Atirada sem dó
Por ela dobraram os sinos
Com tamanha tristeza
Pensaram ser minh’alma
Sucumbindo
De tanta mágoa
Choro lágrimas ao vento
De tanta dor que sinto
A rosa murcha
Sou eu
Calcada ao vento lançada…

quinta-feira, 28 de julho de 2011

AUSÊNCIA


Entreguei-me a ti
por amar tanto
causando dor
sofrimento
angústia
Vivo só
nesta amargura
sentindo falta de beijos teus
Como abraços me cobriam
ternos
doces
e quentes
Choro ausência tua
em lágrimas
como o orvalho da manhã
frias e salgadas
como as àguas do mar
Mas sei que tu virás
meu Amor
para meu Castelo destruído
envolto em heras e em flor....

quarta-feira, 27 de julho de 2011

O MEU BAILADO


Ao som da música
d'uma bela melodia
as estrelas brilham mais
para me verem dançar
Algumas caiem no chão
para iluminar meu caminho
para serem as luzes
do palco da minha dança
Descalça sinto vibrar
a melodia em mim
danço
rodopio sem parar
minha saia se levanta
com tanta volta que dou
Fico em bicos dos pés
como se fosse bailarina
contorcendo meu corpo
ao compasso da melodia
Tive aplausos no final
mas foi apenas sonho
só as estrelas
é que viram o meu bailar...

ESCREVO


Vejo e sinto
meus pensamentos
fluirem
tomarem forma
Vou escrever versos meus
com pena de tinta preta
para que as páginas
não fiquem brancas
de tantas penas minhas
São sentimentos
guardados no meu peito
tristes
amargurados
passados para páginas brancas
com pena de tinta preta
Esventro meu ser
rasgo minh'alma
por letras que não escrevo
em páginas brancas...

NOSSA CAMA


Vem ,
nossa cama espera-nos
com pétalas de rosas espalhadas
sobre os lençóis de seda
De mãos dadas
sem dizer nada
vais-me envolvendo
com caricías e beijos
como só tu sabes fazer
Como te quero, meu homem
em olhares cúmplices
nossos corpos se entrelaçam
com odores de desejo
e sabores de querer
No nosso universo
d'um amor de mel delicioso
transformamo-nos num só
em êxtase
vibrando a dois
sussrrando bem baixinho
Quero-te sentir assim
e adormeçer na nossa cama...

terça-feira, 26 de julho de 2011

JANELA FECHADA


Fechou-se a janela
em paredes corroídas
p'lo tempo
Crescem verdes de esperança
de gente sem ela
Olham por entre as tábuas
luz de um novo dia
com medo
da descoberta
que nada é em vão
Clausura
que atrofia
A porta também se fechou
com dobradiças enferrujadas
de chaves deitadas ao vento
E sonhos nela ficaram
com a janela fechada...

HOMEM II


Envolto em lençol de seda
teu corpo nu
ânseia
deseja
sonha
momentos de amor envolventes
Braços que abraçam
no enleio d'um calor
mãos percorrendo
caminhos escondidos
bocas que se unem
corpos que se colam
E o lençol vai deslizando
suavemente
mostrando
corpos suados
desejados
ficando no ar um cheiro
de ti Homem.....

DEITADO


Suavemente
adormeçes numa cama
deixando-te levar
p'los mais loucos sonhos
Mansamente
sentes um carinho meu
que te envolve
na doçura d'um sorriso
Mostras teu corpo
como pedindo
que vá a teu encontro
Como desejas e queres
sentir por inteiro
o prazer
a delicia
de um amor sentido
e consentido
Teu corpo estremece
ao sentir uma leve brisa nocturna
A janela do quarto estava aberta
enquanto dormia e sonhava....

segunda-feira, 25 de julho de 2011

HOMEM


Desnudo-te
com meus sentidos
querendo
como fera em cio te quer
Vem embalar meus sonhos
extravazar minha imaginação
dedos percorrendo tua pele
doce e querer desejo
Homem
como deus do Olimpo
explora
invade
segrega teu amor em mim
devastando o anseio
de me sentir em ti
estonteante de bem quer
enlouquecido
por ti Homem...

AVE RARA


Com o raiar da manhã
no beiral da minha janela
canta um doce passarinho
cantiga triste d'ouvir
Está só como eu
faz-me chorar
no seu belo trinar
parecendo chamar
por quem tanto ama
Ave rara
que em meu beiral cantas
és livre
mas não o queres ser
deixa juntar meu grito apagado
em tuas penas
molhadas p'lo meu pranto...

LUZ DO FIRMAMENTO

Luz que brilhas
chamando a minha atenção
enebrias meu pensamento
toldas minha visão
Como és suave
mas arrebatas todo o meu ser
querendo voar
deixando ser amada
amor louco
que só um pouco tenho de ti
Ilumina minh'alma
ama-me até eu ser pó
já que de ti
eu nada posso ter
Vivendo em mim
apenas te tenho
luz do firmamento...

domingo, 24 de julho de 2011

CASTRANDO


Como se pode fugir
ou mesmo fingir
Todos nós
temos o nosso lado de meninos
a realidade causa a fuga
a frustração
O sonhar
amar
querer
pareçem voar de nossas mãos
Brincar é bem melhor
num jogo de faz de conta
como um menino homem
que na solidão de amar
ama
mas nao quer sofrer
sofrendo
castrando su'alma
já ferida...

sábado, 23 de julho de 2011

A LER


Oh quão doce e terno
meu amor
te vislumbro
em frases meigas
d'um livro que leio
Queria-te presente
e eternamente
a meu lado
como perfume
que exala d'uma rosa
Como sinto a dor da solidão
calando forte
um peito ferido
d'uma mágoa sofrida
Não consigo ler
os olhos marejados de lágrimas
e um soluço abafado
não me deixam continuar
a ler....

sexta-feira, 22 de julho de 2011

DA MINHA JANELA


Limpo os vidros
embaciados
da janela onde
vislumbro o horizonte
O sol põe-se
para dar lugar à noite
Da minha janela
vejo o mundo
a mim
a ti
a todos
Ela é pequena
mas abarca
sentimentos
desejos
quereres
numa imaginação louca
de um querer voar
de estar presente
Através da minha janela....

quinta-feira, 21 de julho de 2011

NUMA RUA QUALQUER


À luz d'um candieiro
em meu local de espera
de todas as noites
Naquela rua sombria
apenas existe um
que alumia
enquanto fumo um cigarro
Um homem aproxima-se
pedindo o dinheiro da noite
Eu pertenço-lhe
Ele exige-me
Apalpa meu corpo
para satisfazer
seus caprichos de homem
de dono
e senhor
meu corpo estático
cedendo
à espera de um próximo
Numa rua qualquer
sob a luz d'um candieiro...

MÃOS


Mãos unidas
mãos que agarram
um presente e um futuro
mãos que sentem
que pressentem
Duas mãos
numa só
como a vida
Mãos unidas
enlaçadas
enredadas
dadas
com um só nó
Mãos unidas
a um desejo
de querer
mãos enleadas
no enlevo
de um sonho
acordado....

TU MULHER


Mulher que te transformas
por raiva
ódio
Mulher que te flagelas
por tua dor
angústia
Mulher que te escondes
da doença
da morte
Mulher que vives na solidão
sem familia
sem amigos
Mulher que não choras
sem alma
sem esperança
Mulher que te renegas
sem luz
triste
Esta Mulher simplesmente
És tu Mulher...

quarta-feira, 20 de julho de 2011

PEITO DORIDO


Colo em mim
no meu peito dorido
rosa vermelha
que sangra a alma
das feridas eternas
Rasgo-me
esventro o meu ser
da dor que sinto ter
Espinhos
que perfuram em mim
tudo o que sinto
e me fazem sangrar
gota a gota
a angústia
nela contida
Meu peito dorido
sangra feridas eternas...

A ESPERA


Banho-me em àguas quentes
esperando por ti
Sinto-te
E as águas que me rodeiam
molham minhas roupas
meus cabelos
fazendo-me igual
a sereia do mar meu
Quero
Desejo
Anseio
Numa praia d'aguas limpidas
espraio-me
tal como as ondas
o branco de minhas roupas
misturam-se com a espuma do mar
Corpo ondulante
no teu sentir...

terça-feira, 19 de julho de 2011

FOGO DA PAIXÃO


Ardentem intensas labaredas
de uma fogueira
que incendeia
queima
arde
de um calor atroz
É o fogo da paixão
que enebria
os corações
e que voa...voa
deixando loucas
sensações
um fogo que arde
Fogo da Paixão
que enredeia
e tece teias
nos mais duros corações
Fogo da paixão
é magia
é sonhar
é receio de amar...

segunda-feira, 18 de julho de 2011

PORTO DE ABRIGO


Venho para meu porto
porto de abrigo
de tempestades
do mar
Estou em terra
terra firme mas sozinha
sem ti
que solidão
Oh vida triste
apenas oiço
o grito das gaivotas
o bater das ondas no mar
e eu
sózinha
soprando leve briza
levantando meus cabelos
deixando ver minhas pernas
e eu sózinha
em meu porto de abrigo...

TEMPO QUE PASSA


Quanto custa passar
o tempo sem ti
por perto
vejo-te na imaginação
numa triste solidão
até as àrvores choram contigo
tal é o teu só em retiro
Falas
ris
mas tua alma sangra
chorando
clamando
dando gritos
na clareira sem fim
No tempo que passa
a solidão desgasta
eu chamando por ti
mas não me ouves
não entendes
No tempo que passa
a minha tristeza...

domingo, 17 de julho de 2011

FRENTE


Frente a frente
sem mais ninguem
fixo teus olhos
lendo tu'alma
Não fales
que eu tambem não
o silêncio
e os olhos
falarão por nós
O peito estala
de nós dados e desatados
dizendo não
mas da boca sai um "sim"
desejando
o desejado
querendo
o que não alcança
Não fales
deixa-me ver tu'alma...

sábado, 16 de julho de 2011

AO ENTARDECER


Enrolo-me
agarro-me
a ti
como a hera à àrvore
sedenta de teus beijos
abraços meigos
doces caricias
vividas a dois
numa floresta de desejos
onde nossas seivas
se misturam
em uma só
Teus braços aconchegam
este doce amor
embrenhando-se em mim
todo esse calor
enrolando-me
em beijos sem fim...

sexta-feira, 15 de julho de 2011

QUERO - III

Sem subterfúgios
de coração aberto
vou deixar a alma falar
palavras,sentidas,mercidas
Quero um dia chegar ao alto
d'um penhasco e gritar
que apesar dos meus rabiscos
alguém os leu e releu
lhes deu grande valor
Quero dizer que sinto
Amizade não é palavra vã
há um doar permanente
naquilo que se acredita
Galardões, homenagens
honrarias com flores
quero que sejam em vida
para subirmos mais alto
no voo da nossa Vida
Quero-te dizer AMIGO
que a minha é mais singela
sem diplomas ou recepções
minha poesia simples
como é o meu viver
minha AMIZADE sincera
sem CAPAS tal como eu sou...

MINHA SINCERA HOMENAGEM PORQUE "QUERO" AO ANGELO VAZ
(Inédito/Fatima Porto)

QUERO - ll

Mar intenso
que puxas e sugas
sentimentos e quereres
lavas desejos
Quero seguir-te
de mãos dadas
lado a lado
olhar no horizonte
Quero!
Não importa
remoinhos
remar contra a maré
Mas quero
palavra de tem força
Força que alimenta sentimentos
a Vida
E sem falar
apenas mão na mão
eu digo QUERO...

(Inédito/Fatima Porto)

QUERO - l

Ir de encontro
às brumas do mar
sentir meus pés molhar
não olhar p'ra trás
dum passado magoado
e banhar meu corpo
minh'alma
rasgada
ferida
em àguas quentes calmas
Quero
lavar-me
expurgar-me
do mal dentro de mim
desnudar-me
do resto que ficou
Quero
ser eu
de corpo e alma...

(inédito/Fatima Porto)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

A POESIA

Eu canto à rima
à ode
à proza
Porque é Poesia
Canto ao amor
à esperança
à alegria
porque é Poesia
Eu canto à vida
à tristeza
à morte
porque é Poesia
Canto ao fazer amor
aos corpos nus
em êxtase
porque é Poesia
Canto eu ser eu
por amar
e ser amada
Porque é Poesia...

UMA PONTE

Dois seres
duas margens
um elo
uma ponte
Forte ligação
de passagem
de emoções
pensamentos
quereres
desejos
Uma ponte
forte,coesa
onde dois seres
se encontram
não nos extremos
onde mal se tocam
mal se vêem
e se falam
Ponte da vida
onde floresçem e se criam
no verde da esperança
amores que ultrapassam barreiras
distâncias
porque de mãos dadas
olham em frente
na Ponte da Vida

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O RELÓGIO

Pára relógio
que o tempo é nosso
do sentimento
do amor
do envolver
Pára relógio
nossos corpos nus
sedentos d'um amor
quedam-se ao teu toque
Pára relógio
caricias e afagos
em lençóis de seda
numa cama beijada por nós
Pára relógio
o quarto é nosso mundo
onde cheiros e sabores
invadem todos os poros
Pára relógio
porque aos gemidos
e sussurros da loucura
o tempo parou e o relógio
também...

PUZZLE

Nos mistérios da vida
fala a alma
e os olhos
da boca nem uma palavra
nossos quereres
desejos
ansiedades
mas falta sempre
uma peça do Puzzle
para estar completo
Olhos nos olhos
mãos nas mãos
sentimentos que se cruzam
estravazando o peito
distâncias perdidas
Falta a peça do puzzle
que vou procurando
dentro do meu Ser
escondida
perdida
talvez por desvendar
Mas falta a peça do puzzle...

terça-feira, 12 de julho de 2011

SOL QUENTE

Pôr do sol
tarde quente
dia de mistério
Noite que me faz pensar
andando à beira mar
Uma praia
deserta,talvez
sendo minha sòmente
Oh como queria agora
ter-te no meu pensamento
com toda a minha paixão
nesta noite
nesta praia
onde calores se misturam
sentindo a leve brisa que passa
acarinhar suave dos cabelos
olhos pedindo um beijo
Sentimentos aquecidos
por um pôr do sol
uma noite norma
numa praia deserta
talvez...

SIMPLES CANETA

Pego na caneta
para te escrever
poemas
cartas
Mas meu pensamento
corre mais depressa que eu
e eu voou até ti
Sinto-te presente
mesmo ausente
os desejos
quereres
a ânsia de um beijo
o toque suave
de tuas caricias
palavras meigas
ditas em sussurro
Mas o meu pensamento voou
de caneta na mão
de página em branco
do sentimento que sinto....

OUTONO

Folhas caem
mortiças
velhas
no arrastar do tempo
A brisa passa
breve e serena
tocando meu rosto
Em meus pensamentos
imagino-te aqui
recostada ao teu peito
num doce entardeçer
Uma a uma
as folhas de outono
esvoaçam
em torno de mim
Sinto tua voz
em grito sufocado
chamando por mim
como as àrvores
que se desnudam ao frio
numa tarde de outono...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

NA CORDA DA VIDA

P'la noite escura
sigo minha viagem
levando comigo
tudo e nada
apenas "eu"
Não vou voar
nas asas da imaginação
basta escorregar
e voltar a cair na vida
Pé ante pé
devagarinho
numa corda bem esticada
seguir em frente
sem fazer equilibrismos
Lua que por mim clama
com tua luz prateada
seguindo-te
sei que chegaria
a um porto de calmaria
Mas a vida que eu quero
é de ter os pés na Terra
sorrindo
amando
mas ser como ela é...

CAMINHANTE

Parto
por esses caminhos errante
à procura do "eu" perdido
levando na bagagem
sonhos e tristezas
por desvendar
Não há sol que aqueça
o frio que em mim transborda
a não ser a paz
que procuro
doutrora tambem perdida
Meus pés sangram
por mim
d'um peso que em si carregam
em caminhos tortuosos
cravados de pedras
como se de meus pecados fossem....

domingo, 10 de julho de 2011

O PINTOR

Com tal maestria
na mistura de tintas
o pintor
em seu quadro
dá largas ao sentimento
esqueçendo
o próprio mundo
em telas
pinçéis
e tintas
Entrega a sua alma
devotando à pintura
choro
riso
triteza
alegria
até mesmo uma paisagem
prostrada a seus pés
Na silhueta da mulher
tem um olhar diferente
como Degas no bailado
outros em simples nus
Da beleza do pôr do sol
um barco na praia
ou um abstracto
para as mãos de um pintor
é a vida que retrata...



UMA HOMENAGEM AO PINTOR E AMIGO = ANGELO VAZ = PELO SEU ANIVERSÁRIO NO DIA 08/07/2011.

MINHA SOLIDÃO

Descanço
só dentro de minh'alma
do frio que me embala
nesta solidão
Memórias que não se apagam
feridas que sagram
e eu só
Dor latejante
que me persegue
e corroi
Quero deixar de pensar
fechar os olhos
e tentar esqueçer
páginas d'um livro
que não foram apagadas
e que amortalham
e aindam rasgam
vidas que não vivi
E só
vou-me aqueçendo
dos restos
para não dizer que morri...

LÁGRIMAS E DOR


Paixão não é Amar
em turbilhão de querer
possuir outro ser
Mas que revolta dá
a dor da vida
entre quatro paredes
Paixão com ciume
só pode dar
uma existência negra
maltrada
espezinhada
como se nada valesse
Calam-se bocas
por vergonha
ou timidez
escondendo lágrimas de dor
Viver por viver
é nada
aguentar até poder
Vida inútil
triste
angustiada
chorando lágrimas de sangue
d'uma alma trocidada
na valeta da estrada...

sábado, 9 de julho de 2011

MUSICA COLORIDA


Com muita suavidade
ouve-se ao longe
sons de uma bela melodia
Os tons vão-se firmando
em oitavas
e sustenidos
com acordes bem vibrados
Dó,Mi,Sol
Quando melhor se ouve
cruzam-se as mãos em pianissímo
percorrendo o teclado
pondo tambem benóis
Mas que linda e que bela
toda esta melodia
não é mais que uma
Canção colorida
Mais um acorde
vincado com o pedal
para que o som
se faça ouvir
Ré,Sol,Si
Quem não souber as notas
pode não entender a música
sendo ela colorida
Dó,Ré,Mi,Fá,Sol,Lá,Si
tudo em corrida...

REFÚGIO


Alma que se invade
querendo ficar só
deambulando na existência
de nada querendo
Quedo-me entre o sonho
e a realidade
prostrada na poltrona
de olhos cerrados
para não ver
que meus olhos querem
Leda e triste
na minha solidão
não há estradas que corra
nem atalhos
que palmilhe
porque longe de tudo
no meu refúgio
minha alma nao chora
e minha imaginação
não voa...

sexta-feira, 8 de julho de 2011

AUSÊNCIA


Que inunda a alma
Retalha o coração
Dos beijos ausentes
Memórias de um tempo
Ausente
Mas não
Há vazio esquecido
O tempo levou-te para longe
Deixando momentos
Inolvidáveis
De abraços que hoje
Estão frios de ti
De toques de mãos suaves
Em corpo ausente
Arrepio invade
À lembrança de meus cabelos
Acariciados
Um desejo
De uma cama que não existiu
Mas que perdidamente
Deitámos nela
Sem pudor de um querer
E ultrapassando barreiras
Eternizando na união
De seivas e fluidos
D’um amor enlouquecido
Porque seria um amor sonhado
Desejado
Querido
Mas…. Ausente …

quinta-feira, 7 de julho de 2011

TUDO VAZIO


Duas cadeiras vazias
numa casa vazia
Tudo foi
até mesmo o tempo
em que a casa tinha gente
e as cadeiras tambem
Hoje nela habitam
rosas silvestres
que apareçeram do nada
umas brancas
outras vermelhas
mesmo à beira das cadeiras
Cresçeram e entrelaçaram
uma na outra
sem nunca tocarem os picos
O telhado caiu à casa
por tanto tempo que passou
mas as cadeiras
essas nao
bem agarradas ao chão
p'lo entrelaçar das roseiras
como se ainda houvesse
o grande amor d'outra
Rosa branca
Rosa vermelha...

QUANDO NOSSAS BOCAS SE UNIREM