domingo, 26 de fevereiro de 2012

CAIS DE ESPERA




Abraçando o presente
No cais do futuro
Sinto calor na brisa que passa
Onde leves murmúrios teus
Encantam meu espírito
Que me faz olhar o horizonte

Quero-te como fogo que incendeia almas
E não tendo mais desejo
Beijos num apetecer de sorrisos doces

Ah como abraço em sonhos teu abraço
Calor que o corpo irradia
Criando a presença um extravasar de emoções
Ausência na distância amargurada

Aguardo no silêncio da alma
Teu regresso que auguro seja rápido
Pois meu coração não suporta esta tristeza
Sem tua voz meiga sussurrando
Que me quer e que sou a sua amada….

Sem comentários:

Enviar um comentário

RASAS E ESPINHOS