quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

OLHA



Vê como olho para ti
deitada neste chão
d'um quarto vazio

Vem saborear-me
provando em ti

Vem deliciar
Fazendo deleitar-nos
Numa viajem como deuses
até Paraíso

Eu entrego-me
na tua rendição
com olhares cruzados
em voz muda

Diremos nossa ânsia
invadindo corpos

Mansamente se toca
com um arrepio
de suores que vagueiam
Um sabor degustado

Mas olha
eu vejo-te…

1 comentário:

  1. .

    Olhares, tocares, provares enlouquecedores!
    Reendo-me à beleza dos seus poemas que fazem o nosso coração bater descompassadamente!

    Poeticamente falando: Olhas. Vejo-te... Desejo mais!

    Lindíssimo, Fátima!

    ResponderEliminar