sábado, 18 de fevereiro de 2012

CORPO EM DESALINHO




Corpo deitado ao relento
Despido em sentimentos
Num querer tocar na distância
Perdida nos braços da ausência

Rolam frutos da paixão
No sossego de uma alma
Que roga a presença
Num desejo contido
Como gritando teu nome

Corpo em desalinho
Onde há soluços baixos
Que ecoam num coração
Inundado de desejos
No mais profundo amor…

Sem comentários:

Enviar um comentário

RASAS E ESPINHOS