sexta-feira, 1 de março de 2013

FOGO DE MIM





Meu corpo é fogo
Que queima ilusões,
Assusta aves agoirentas
Com labaredas no olhar

Arde meu lado esquerdo
Profanado sem dó nem piedade
Como lanças certeiras
E me faz cuspir o fel nelas trazidas

Solto cabelos ao vento
Fazendo arder tudo ao meu redor
Num rodopio de labaredas
que incendeiam e alastram na inquietação

Ah fogo que me fazes consumir
No queixume dos silêncios
De clamor sem retorno
Lavrando ardores
Deixados aos ventos da fantasia….


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário