segunda-feira, 18 de março de 2013

FOGO EM GRITO




Meu corpo
Uma fogueira
Na penumbra da noite
Que incendeia
E se destroça
Lentamente

Na alma
Queimo em chamas
Labaredas acesas
Que flamejam
Toda a crueldade

Dou gritos ateados
Aos ventos
Matizando ao meu redor
Estrelas cadentes
Com mais fulgor
E mais esplendor

Se consuma todo este fogo
No corpo e alma
Cuspindo as angústias
Vibrando um coração apaixonado
Num abraço que nos una
Com um beijo que sele
Todo este amor …


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

PRAIA DA SERENIDADE