domingo, 24 de março de 2013

QUANDO




Quando eu sentir teu odor
Ao ir e voltar num por de sol
Perto de uma praia

Quando eu sentir a brisa sobre as palmeiras
Como missangas tilintando
Num corpo a ondular ao sabor da música

Quando ouvir os batuques ao entardecer
Ritmados por marimbas
E o chão tremer e pó levantar

Quando me deliciar no gosto doce das frutas
No sabor acre-doce de tambarinos e mucua
E no esplendor das acácias rubras

Quando me sentir no teu encanto
Do calor dos ramos num abraço
Nas sombras dos silêncios gritarei teu nome

Quando,
Em vez de meu pensamento voar
Eu poder dizer, voltei para ti, minha terra…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário