domingo, 26 de maio de 2013

D’OLHOS FECHADOS




Com tuas caricias
E teus beijos,
Fecho os olhos
E deixo-me levar

Dar amor
E ser amada,
Envolves-me
Com tal doçura e candura
Ficando aprisionada em ti

Vou chamar de paixão,
Um amor doce,
Porque nós queremos,
Desejamos,
Ansiamos,
E nos encaixamos,
Como o concavo
E o convexo

E numa plenitude irreal, talvez,
Que d’um sonho a dois,
Nossos cheiros
Cruzam-se,
Misturam-se
Com os fluidos
Que de nós exalam,
Inebriando-nos
Como loucos

Ah que amantes que somos,
Quando fechamos os olhos…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

PEDRAS DA CALÇADA