terça-feira, 14 de maio de 2013

ROSAS DE SAUDADE




Pus em meu regaço
Perfumados botões de rosa
Para encherem o vazio
Que a tua ausência deixou

Pétala a pétala
Vou desfolhando
Como um pequeno rosário
Das penas da minha alma
Que no silêncio guardo por ti

Sentada aguardo serena
Despojada de sentimentos
Mas minha alma inquieta
Dorida, sofre sem ti

Choro lágrimas de saudade
E dos beijos que não dei
Queria-te bem pertinho
No calor do teu abraço
Sussurrando ao ouvido
Palavras do nosso Amor…


Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

É NA PENUMBRA