quinta-feira, 30 de maio de 2013

QUANDO EU VOLTAR




Quando eu voltar
Que se silencie
As nuvens e o céu vermelho
Palmeiras sem vento
Para observar o cheiro
E contemplar a magia da minha Terra

Quando eu voltar
Que o calor me abrace suave
Como nuvens de algodão a florescer
No sentir do aroma do café nos terreiros
Degustando saudosa o olhar das acácias rubras

Quando eu voltar
Vou fechar os olhos
Minhas mãos agarram a terra que me viu nascer
E murmurando em silêncio palavras da alma
Escondidas, caladas
Pois cada lágrima rasga-me o peito
Porque por fim…eu voltei!


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

PEDRAS DA CALÇADA