sexta-feira, 24 de maio de 2013

ENLEIOS DESNUDADOS




Vem de mansinho
Num abraço
Com teus braços
Num calor de amor
E beija-me até ser manhã

Dois corpos unidos
Semi-nus encostados,
Em ondas de prazer
Onde as palavras não contam

Sentimentos à deriva
Onde a alma profunda fala,
Na distância do ardor
Do enlace desejado,
Pretendido, amado

Sonhos do sentir na pele
Carícias apetecidas,
Como uma brisa doce passando,
Por misteriosos trilhos
No deleite d’um encontro

Oh luz da exaltação,
Estreita teus ramos com tenção,
Pois o ardor no peito clama,
O calor de teus braços
Que aquece e enche o coração…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

SOU MULHER E MISTÉRIO