quarta-feira, 15 de maio de 2013

ESCREVER DEPOIS





Sentada
à secretária
escrevia para ti, meu doce

Senti um arrepio,
Como de uma mão
em meu ombro,
Um afagar nos cabelos

Por minha janela
entrou uma leve brisa
mas um calor
colou-se às minhas costas

Oh, eras tu,
Estavas comigo, sorrindo

Inclinaste para a frente
e segurando no meu rosto,
Deste-me um beijo
estreitaste-me em teus braços
e em silêncio
um longo abraço

Mas porquê a escrita
se tu estavas comigo

Vem, minha paixão
o momento é de nós dois
quero-te em mim
como nós desejamos

Escrever,
Eu escrevo-te
depois...


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCOBRIR-ME...