segunda-feira, 29 de agosto de 2011

VIAJO DESPIDA DE MIM



Despida
De mim própria
Toco no reflexo
Por onde divago
Para outra extensão
Acaso,
Outro cosmos
De meu próprio devaneio

Vou fugindo
Subtilmente
Entre estrelas
Constelações
Almejava ser uma delas
Para meu fulgor
Refulgir

Mas o devaneio
Expira
Guiando ao planeta real

Olho ao espelho
Livre de mim
Num puro desvario ….

Sem comentários:

Enviar um comentário

RASAS E ESPINHOS