quarta-feira, 24 de agosto de 2011

O CHORO DA AVE



Soltei o passarinho
Que na gaiola cantava
Trinados tristes, amargurados
Parecia que até chorava

Era grande a melancolia
Em todo o seu cantar
Como as suas belas penas
De todo um grande penar

Abri a porta, deixei voar
Cantou alegre o passarinho
Não nasceu para estar preso
Que tristeza, coitadinho!

Todos os dias vem cantar
Ao beiral da minha janela
Ave esperta e feliz
Quer que eu cante com ela ….!

Sem comentários:

Enviar um comentário

SENTIMENTOS SEM PALAVRAS