sábado, 13 de agosto de 2011

PENAR MEU



Tristeza minha
Dor que me invade
Como um vendaval interior
Como dói
Penas de minh’alma
Torturam-me em sofrimento
Nesta solidão que corrói
Todo o meu pensamento
Ventos levem p’ra bem longe
Toda esta sensação de dor
Quero gritar e não posso
Chorar
Já nem lágrimas tenho …

PENSANDO À JANELA



Meu pensamento voa
A olhar p’la janela
Sonho
Chego mesmo a ir p’ra outro mundo
Como gostava que fosses comigo
Lá tudo é lindo
Não há dor nem tristezas
O mundo que eu criei
Vou p’ra lá muitas vezes
É só de imaginação
Mas é meu
Muito meu
Nesse mundo há Castelos
Reis e Rainhas
Rodeados de mil fadas
Onde os jardins são Éden
Do tempo de Adão e Eva
Lá as histórias são de amor profundo
Como D.Pedro e D.Inês
Ou mesmo como Romeu e Julieta
Onde só mesmo a morte
Os pode separar
Regresso dos meus pensamentos
Ao meu mundo real
Como seria bom amar
Sem ter que imaginar …

CORPO DE MULHER



Prostrado de ansiedade
Como terra árida
Seca
Amarga
Tu tens vida
Queres amor
Não apenas um simples uso
Dás tua vida
Fecundando
Maior riqueza p’ra ti
Transformando teu amor
Em frutos
Da tua árvore da vida …

SUSPENSÃO D'AMOR



Apenas de mãos dadas
Subindo pelo espaço etéreo
Em chamas
Que não queimam
Mas que trazem novo alento à alma
Onde se busca a pureza
A limpidez
A perfeição
Corpos dissimulam tanto amor
Em comunhão
Até à sua elevação ….

Á ESPERA


A espera tem sido longa
quase que raia um novo dia
e eu triste
abandonada e só
em cima d'um penhasco
Tive a lua como companhia
em toda a longa espera
está a dizer adeus
e eu continuo só
Rola um lágrima
de saudade
bem funda dentro do peito
quero gritar teu nome
nem a minha voz eu sinto
Porque tanta espera ....

DESEJO MEU


Vem meu amor
estou pronta
para te receber
Quero-te
desejo-te
é tudo o que mais anseio
Sentir tua doce melodia
de sussurros aos meus ouvidos
tuas mãos em meu corpo
em suaves carícias
Fechando os olhos
sinto tua presença
até mesmo os teus beijos
Aqui estou eu
para ti
Não demores
oh que saudades ...

POSSUIR


Nossos corpos se envolvem
se contorcem
se enleiam d'amor
Línguas que bailam
beijos sofregos e doces
d'eterna sedução
Forte e meigo
é o desejo
de te ter em mim
doce enlevo
que te anseio cada vez mais
Tudo é tão sublime
que nossos corpos brilham
de cheiros saboreados
em perfeita comunhão

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

DOCE AMAR


Meu amor
vamos amar até ser dia
beija minh'alma
com teu perfume
de sabor de baunilha
e ouve-me
tacteando lentamente
Sim meu amor
olha-me com ternura
sem palavras
e bocas unidas
beberemos nossa paixão
Sente nossos corpos unidos
em fervor e vibrando
de tão doce emoção
querendo um nunca mais acabar...

SIGO


Sigo meu caminho
sem olhar p'ra tras
calco pedra a pedra
com firmeza
daquilo que quero
e que sou
Não me importo
do que falam
bocas escancaradas
como janelas ao mundo
não sabem o que dizem
pervesas
más
prontas a espetar
a fina lâmina de suas línguas
Mas eu sigo
sem olhar p'ra tras ...

UMA NOITE


Triste e só
numa praia iluminada
p'la lua
olhei para o mar calmo
Meus olhos queriam-se perder
no horizonte
Céu sem estrelas
apenas brilhava a Lua
para mim
Quiz saber o que havia no fundo do mar
Com minha tristeza
e só
fui até ao mar
Senti-me como se fizesse parte dele
e mergulhei
Como por magia da Lua
do mar
ou da minha tristeza
tranformei-me numa sereia
tal qual as que cantam e encantam
Regressei
mas continuei sempre sereia
e sempre só...

TEMPESTADE


Ventos fortes
Nuvens negras
E eu caída
Desamparada
Minha alma atraiçoa
Sem dó
Aves agoirentas rodeiam-me
Como vizinhas mal falantes
Sinto picos e pedras
Fazendo feridas
No pó lamacento
Vendavais em remoinhos
Não me deixam levantar
Mesmo sem forças ….

INFINITA SAUDADE



Envolta em mim
Para esquecer a saudade
Fecho os olhos
Na penumbra
D’um quarto escuro
Saudade que mata
Minh’alma
De angústia e dor
Rezo preces
Para aliviar
As saudades que de ti tenho
Vivo p’ra teu viver
Desde que te vi partir
Oh meu amor
Eu morro sem teu querer….

MAR SERENO


Que encanto o teu
de prazer e desejo
Neste mar tranquilo
de doçe enleio
sinto teu corpo vibrar
Como te quero
poder amar
amar até não existir
Não me chames de louca
só por te amar
por te querer
Ondas de prazer
incontidas
nos fazem amar
cada vez mais
Minha paixão
vamos viajar
neste mar de amar ...

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

DEVANEIOS EM SONHOS


Meus anseios
pensamentos
voam até ti
Adormeço
numa cama de areia
à beira mar
com lençóis d'água e espuma
perfumados de maresia
Como te queria agora
nesta praia
do meu sonho
com ondas espraindo-se
cobrindo meu corpo
dando-me tal prazer
como se fosses tu
aconchegar no leito
Uma brisa corre suave
pareçendo tua mão
afagar meu rosto
Mas é apenas um sonho
devaneios em sonhos
como se fosse realidade...

HOMENAGEM AO POETA MILTON GAMA


Rufam tambores
há choro e lágrimas
a mão do poeta
já não escreve mais
Apagou-se uma vela
acendeu-se uma estrela
que voou p'ra guiar lá do Céu
De homem a poeta
foi só um passo
mas foi uma vida
que ele deixou
Legado importante
pra ninguém esqueçer
o Homem
o Amigo
o Companheiro
e acima de tudo
o Poeta
porque sua Obra ficou!!

Milton Gama faleceu a 10/08/2011

AMAR ASSIM


Quero que me ames
voraz
queimes meu corpo
p'lo teu desejo
Derrama em mim
todos os teus beijos
carentes do cheiro
d'um amar sem fim
Percorre caminhos
encurta atalhos
e sente meu coração
vibrar sofrego
por te querer
Labaredas incendeiam
um fogo louco
que mais é sempre pouco
fazendo transbordar
delícias por amar assim ....

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

OUTONO



Folha só que ficaste
Em árvore nua
Despida
Ventos frios
Não te levaram
Na lonjura do temporal
Tua morte foi mais lenta
Segura a fio de vida
Lamentas a solidão
Sentimento que corrói
Largada só
Entre os ramos
Sopro da tua vida
“As árvores morrem de pé”
É sinal de muito orgulho
Tu morres lentamente
Na dança dos ventos d’Outono ….

RECOSTADO



Com que calma
Mas olhar de desejo
Esperas-me
Teu sorriso meigo
Me faz cativar
Para que corra
Me acerque de ti
Envolva em teus braços
Sentindo o calor do teu corpo
Provocas-me
Atiças-me
Despudorado olha-me
Mas eu gosto
Sinto-me mais mulher
Com um sorriso nos olhos
Revolvendo lençóis de seda
Beijo teu corpo com carícias de mel
E encaixo-me no teu olhar
Querendo o nosso desejo
Mesmo recostado
Num prazer incontido …

TU, MESMO


Tu
Sem sentimentos
Que não te importas em ferir
Tu
Sem cara
Que violentas sem pudor
Tu
Que usas
O poder nos mais fracos
Tu
Que ousas
Cuspir no bem
Tu
Que mentes
Nas verdades mais puras
Tu
Que vives
Na morte de alguém
Tu
Que ris
Com a tristeza e angústia
Tu
Que falseias
Quando dizes que Amas
Sim, Tu, mesmo
Olha para ti
E nada encontras…

UM OLHAR


Quedo-me doce olhar
Enlevo de minh’alma
Suave brisa
Que tocas em meu rosto
Fazendo-me sonhar
Voou em meu pensamento
Fechando meus olhos
Sorrio
Sinto tua presença
Em carícias imaginárias
Como de um sonho acordando
Abro os olhos
E nada vejo
Apenas uma lembrança
De quando partiste chorando
Olho para o horizonte
Florida pr’o teu regresso
Não serão ditas palavras
Apenas e só
Um olhar bastará ….

FOLHA



Folha caída
Em boca calada
Transparente
Que nada diz
Nas asas do vento
Caiu em mim
Folha dourada
Que não fala
Luzidia
Reluzente
Pousa suave
Nos lábios colados
Folha triste
Soprou o vento
Que nele voaste
Ficaste em mim
Na boca fechada …

terça-feira, 9 de agosto de 2011

FECHO-ME


Fecho-me
por de tras do fecho
para que ninguém me veja
minhas lágrimas a rolar
Soluços abafos
bem contidos no meu peito
nao quero que oiçam
Sou forte
tudo passa
demora tempo no tempo
Feridas fundas
qu'ainda marcam
lembranças fazem abrir
Dóiem
bem dentro do peito
dilaceram minh'alma
queria esqueçer o passado
prefiro fechar-me
em mim...

MEU LIVRO


O livro do meu passado
Atirado ao mar
D’angústias e tristezas
Foi enredado
Nas redes do presente
E trazido à tona
Com letras molhadas
Das lágrimas não choradas
Pisadas
Calcadas
Com letras mal escritas
Tolhidas
Escondidas
Levadas ao vento
Num murmúrio surdo
Sem eco
Com tinta transparente
Em papel opaco
E forte
Para dar à costa
Numa praia por inventar
Largando as palavras
Nele contido ….

PREPARAÇÃO


Preparo-me para ti
Doce enlevo
Desejo que me sintas
Como tantas outras
Quero que me abraces
Com teus braços quentes
Como fizeste em outras
Teus toques de fogo
Percorrendo montes e vales
Do meu corpo
Sintas o ardor de outras
Quando deslizar meus beijos
Teu pensamento voe para outras
Mas ao me possuíres
E eu te ter
Goza porque eu não sou as outras
Sou mais que elas
Quem tu queres
E desejas….

ABRAÇA-ME


Abraça-me forte
Como se fosse-mos um só
Quero sentir teu calor
Atravessar meu corpo
Encostar minha cabeça
Ao teu peito
Sentir o bater do coração
Abraça-me
Preciso de sentir mais perto
O pulsar do teu corpo
Como se respirasse o teu viver
Abraça-me
Beija-me de mansinho
Acaricia meus cabelos
Abraça-me
Porque no meu abraço
Não encontro ninguém
Só eu….

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

REVOLTA


Escorrego pela parede
Onde me aninho
Escondo meu rosto
Dos olhares
Esculpidos nas paredes
Esperam a destruição
De uma revolta tamanha
Que tolhe meus pensamentos
Agoniza sentimentos
Segura de si
Penetra em minh’alma
De unhas afiadas
Simulando uma morte anunciada
Rasga-me
Esventra todo o meu EU
E suga o sangue
E vida
Como vampiro à solta
Sem rédeas
Nãoooooo
Quero-me sentir livre
Sem esta angústia
Que habita em mim….

FAZ-ME SOLTAR


Ao puxares-me p’ra ti
Segurando na cintura
Sabes que vai explodir
Em nós
Esta inquietude imensa
De dois seres que vibram
Num olhar cego
Íntimo
Que me fazes soltar
De um grito vindo da alma
De um eterno sussurrar
Olhos semi-cerrados
Num contorcer de corpos
O gozo entre gemidos e ais
Soltou-se na entrega
Onde suores e odores
Se misturam no sabor
De beijos de enlace
À prostração do sentir bem
Soltámo-nos …..

domingo, 7 de agosto de 2011

MOLHADOS


Bem de frente um pra outro
sem dizer palavra
nosso desejo aumenta
aqueçe nosso querer
Sintos tuas mãos
meu corpo deliciar
mesmo molhados
suados
colamo-nos ainda mais
Sussurrando ao ouvido
teus braços envolvem-me
e beijas minha nuca
provocando um arrepio
Corpos nus molhados
suados
transformados em um só
Sinto-te
cheiro-te
sugo-te
porque te quero...

NAUFRAGUEI


Naufraguei-me em ti
com todos os meus sentidos
desejos
e quereres
Teu corpo invadiu
em caricias
para um despertar
em entrega mútua
Minhas roupas molhadas
rasgadas
desnudaram-me pouco a pouco
fiz de ti meu porto
Mesmo estando naufragada
é assim que eu quero estar
sentir o teu desejo
e loucura
beijando pra me salvar
Porque eu paixão
naufraguei em ti....