sábado, 20 de agosto de 2011

VEM PARA MIM



Há um sentir
Bem perto de mim
Te querer
Latejando

Não importa
Bocas mal dizentes
Ou mochos taciturnos
Quero-te
Para mim
Num só

Nossos corpos
Embaraçam
Encostam
Ondulam olhares
Saboreiam odores

Vem para mim
Homem meu… !

OBSTRUÇÃO



Obstruo meus olhos
À devastação
Da chama
Que aloja em mim

Não quero antever
Sofrer
Esta desdita que me desgasta

Agitação
Remoinha em mim
Como ave nefasta
Incitando
Esta mágoa

Quedo cega
Para não mais comportar
Este tormento….!

BRANDAMENTE



Beija-me
Meigamente
Segundo fosse o acabo d’alvura
Com afago
Meiguice

Nossas bocas se fixam
Línguas tacteiam
Um bailado
Sôfrego
Calmo

Olhos nos olhos
Sem proferir
Diremos mais de mil promessas
Tenuemente
E mélico ….!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

NAUGRAGEI II



Soltando as amarras
Indo à deriva
Naufraguei nas iras ofuscas
Que povoam em mim

Esventrei -me
Dissipei meu corpo
Implorei aos ventos
Minha dor pungida

Quero amputar
Esta melancolia
Desgosto
Dá-las às tempestades
Resistindo ao naufrágio…!

PEDRAS


Pedras que piso
Calco
Na calçada do caminho!

Pedras que ferem
Magoam
Estilhaçam em minh’alma!

Pedras que atiram
Com raiva
Ódio
Por vingança, talvez!

Pedras que matam
Impunes
Por mãos insanas

Pedras
Outrora de um castelo
Destruído
Feito em pó!

Pedras
Pedras…!

ANJO



Anjo meu
Aqui me tens
Morro
D’ansiedade
De teu querer
Elevam-me contigo
Ao mais alto desejo
Mais forte
Profundo

Possui-me
Com insensatez
Desnudando
A alma sequiosa!

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

ANJO OU DIABO


Quero soltar
Fúria do desespero
Que habita em mim
Como diabo
De rédeas soltas
Em noites de vendavais!

Quero sentir
A ternura, paz
Como anjo
Leve e calmo
Suavizando minha dor!

Solto um grito
Agonizante
Seco
Entrelaçado
Entre anjo e diabo…!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

EVAPORAÇÃO



Meu corpo ferve
Sentimentos tristes
Que torturam
Avassalam a alma
Em sobressaltos
Contidos
Quão duros
Esquecidos!

Corpo que te torces
De chagas profundas
Que queimam
Dilaceram!

De rastos
Misturando ao vento
Evapora-se dor…!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

ELEVAÇÃO DE MIM



Elevo meu corpo
Num sentimento
De querer mais alto
Prostrada de tudo
Sem nada
Vazio!

Sombras medonhas
Envolvem
Rodopiam em ventos
Em turbilhão
Para lá da existência
Do corpo inerte!

Minh’alma
Elevou-se de mim…!

SINTO EM TI



Pulsa meu coração
Em todo o ser
Ânsia desmedida
Por querer!

Desliza no corpo
Odores
De sabor desejado
Num fogo
Ardente
Com suores de tesão!

Sentimento
Que sinto em ti…!

DESEJO D'OLHAR


Quero assim
Sedutora
Menina mulher
Provocando desejos
Incontidos
Mistérios!

Coração acelerado
Respiração ofegante
Corpo que vibra
Desejo n’olhar…!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

NA DANÇA



Segura bem a cintura
E cola nossos peitos
Corações em compasso
Olhares n’alma
Num desnudar de passo largo!

Um beijo
De sentimento
Sem palavras
Consentido!

Música vibra
De rodar na dança…!

PERDIDA



Procuro o de mim
Se esvaiu
Em alma ferida
Qual pássaro
Que tomba e não voa!

Caminho duro
Sem forças
Caio!

Por entre a névoa
Respiro
Num último fôlego..

NÃO É SUBMISSÃO !



É carinho
Ternura
Amor
Entrega !

Sentimentos puros
Que os humanos se esquecem…!

SENTIMENTOS FALSOS



Não a carícias falsas
Ocas
Sem sentido
Mãos não têm viver
Gélidas
Um olhar
Esquecido no espaço vago
Sem palavras!

Prostração de ter
Sem haver
Apenas ilusão..!

domingo, 14 de agosto de 2011

JÓIAS



Poder
Riqueza
Corrói a alma
Destruição
Esmagam sentimentos
Compram destinos
Vidas
Tristezas
Trazem ambição
Luxúria
Raiva
Ódio !

NOITE SEM DORMIR



Vim para minha varanda
Em noite de luar
Queria-te comigo
Só de pensar
Meu pensamento voa
Minh’alma grita
Sinto-me só e triste
Com todo este penar
Ventos e tempestades
Dentro de meu coração
Porque tudo isto
Queria um mar de calmaria
Com brisa suave
Tocando no meu rosto
Como se fossem carícias tuas ….

MEU PAI ...



Tua presença há muito que se foi
O teu colo
Os teus beijos
O teu carinho
O teu amor
Mas em nosso coração não estás ausente
Sinto mesmo teu abraço quente
E o teu olhar sem palavras
Tua estrela no céu brilha
Velando por nós
Vela acesa
Que vento algum apaga
Flor de perfume suave
Que não murcha
Colo que descansei muitas vezes
Mas foi no meu onde descansaste para sempre….
Um beijo com lágrimas de saudade ….

A TODOS OS PAIS!!!



Que de um sentimento forte
E uma união
Com carinho e amor
Floresceu e deu frutos
Que nos bons e maus momentos
Estiveram juntos
Que de um simples olhar
Vale mais que mil palavras
Que juntos e unidos
Tentam compreender a juventude de hoje
Difícil, exigente
Numa sociedade cada vez mais perversa
O “papel” de todos os PAIS é árduo
Mas fazem-no com felicidade
Porque esses frutos
São carne da sua carne
Sangue do seu sangue
E assim terão um fim recompensado !!!
OBRIGADA A TODOS OS PAIS !!!!

AVES D'INVERNO



Neva frio
Nas palavras do meu livro
De páginas abertas ao vento
Abrigo quente
Para aves sem penas do meu penar
Triste sina a delas
Querem-se agasalhar
Numas palavras d’angústia e dor
D’um livro deitado ao chão
Soltam-se folhas
Esvoaçam ao vento
E as aves procuram abrigo
Num livro deitado ao frio do tempo …