sábado, 3 de novembro de 2012

COMO PRECISO





Tanta coisa para falar
Como sussurrando ao ouvido

Mas as palavras voam
Nesta distância que nos separa
Minha Paixão
Eu desejo o teu amor

Preciso do teu sorriso
Para consolar minha dor
Em carinhos, doces e ternos
Teus dedos despentear
Deixando meus cabelos ao vento

Teu beijo morno
Doce, insinuante
De arrepiar a pele

E dizeres baixinho
Que me queres
Para te perderes no infinito

Preciso que em murmúrio
Clames ao mundo
Nosso amor almejado…

Fátima Porto
ATENÇÃO: texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário