sexta-feira, 23 de novembro de 2012

VARANDA DO TEMPO





Da varanda sem tempo
Vejo o cheiro do cacimbo
Ao nascer do dia

As heras secaram
Enroladas nos dias
Esquecendo o calor
Dos meninos que brincavam

Na varanda sentia a roça
Com perfume a café
Que voaram com o tempo
Pois nada disso existe
Apenas na imaginação

Da varanda do tempo
Só vejo o cacimbo
À espera de calor
Dos meninos do passado…

Fátima Porto
Fotografia: David M. Oliveira – Fotografia
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

ESQUECER-ME DO TEMPO