sexta-feira, 16 de novembro de 2012

TERRA VERMELHA





Oh terra vermelha
Que fechando os olhos
Minh’alma sentiu teu cheiro

Deixei escorrer por entre os dedos
O pó da saudade

Embargou-se a voz
Nas lágrimas que rolavam
Levando para bem longe
Meu grito abafado

Mas não desapareceram da minha mão
As sensações,
O odor,
Do vermelho da terra que me viu nascer…



Fátima Porto
Fotografia de: Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

ESQUECER-ME DO TEMPO