quinta-feira, 22 de novembro de 2012

SOLIDÃO NA PRAIA





Deambulo
Em praia calma
Para ver
Teu bote chegar
Minha agonia é tão imensa
Pois do areal não sairei

Quero-te próximo de mim
No enleio nossos corpos
Minha tristeza é tão grande
Pois só a matarei com teus beijos

Vem célere a meus braços
Desejo sentir teu ardor
Sinto solidão
E gelada sem teu amor….

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

ESQUECER-ME DO TEMPO