sexta-feira, 30 de novembro de 2012

SERENAMENTE EM TI





Docemente
Percorro o teu corpo
Pé ante pé
Degustando cada detalhe

Fragrâncias de uma paixão
Espalham-se pelo ar

Como os corpos se colam
Num descobrir cego
Das vontades que extravasam
Mansamente ansiadas

Braços como raízes que entrelaçam
Num afagar almejado
Silenciado nos beijos meigos
Saboreados lentamente
Sem tempo no tempo

Não existe um mundo lá fora
Apenas o nosso, serenamente…


Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário