sábado, 3 de novembro de 2012

OMBREIRA SEM PORTA





Vim esperar-te
Ao por do sol
No casebre por nós eleito
Sem portas
E nem janelas

Vem para nosso conforto
Sem que ninguém saiba
Aliviar nossa ânsia
Viver nossa quimera

Com o chegar da noite
Nossa luz brilhará
De tão intenso amor
Que até a Lua terá ciúmes
De tanto esplendor

Vem, amor
Espero-te à ombreira
Sem porta, para entrares….

Fátima Porto
ATENÇÃO: texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

SOU MULHER E MISTÉRIO