sábado, 17 de novembro de 2012

SEM PALAVRAS





Segredaste-me ao ouvido
Que sou tua
Como menina perdida

Aninho-me em teu colo
Protegida num abraço
Onde descanso, meu Amor
E acordo serena

Esta e todas as noites
Nos amaremos
E nossas bocas se irão juntar
Entre doces beijos de paixão

Em sossego
Não mais falaremos
Palavras … serão a mais!

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

RASAS E ESPINHOS