segunda-feira, 19 de novembro de 2012

JUVENTUDE NA DISTÂNCIA





Através de olhos encantados
Vê-se uma menina do passado
Dançando na alegria do futuro
Esquecendo os devaneios do presente

Quimeras que lembram juventude
Vivida, mas não omitida
Num sótão da imaginação

Guarda mares de Saudade
Onde nuvens de lágrimas
Fizeram secar qual rosa em botão
Deixando perfume no presente

Lenços brancos num adeus
Foram caindo
E agitando-se com a brisa quente
Para bem longe voaram

O eco do esvoaçar, ouve-se
Porque mais longe que seja
A distância é pequena
Quando existe alguém
Que nunca nos esqueceu…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário