domingo, 4 de novembro de 2012

FRAGRÂNCIA TUA





Lágrimas que se ocultam
Na dor do silêncio
Em palavras ditas p’la alma

Dia sombrio
Que de ti resta uma rosa
Fragrância tua
Aos olhos meus

Minha imaginação voa
Ao teu alcance
E no calor d’um abraço
Chorar meu amor

Pois desabroche a rosa
E cada pétala mostre teus caminhos
Que percorrerei de mansinho
E em murmúrio
Do nosso deleite…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

QUANDO NOSSAS BOCAS SE UNIREM