sexta-feira, 23 de novembro de 2012

CORPO NU





Espelho de luz
Que reluz teu corpo
Num desejo profundo
De saciar vontades
Em noites perdidas

Um vazio onde a chama
Dominadora e voraz
Grita baixinho
A ausência do beijo
Do arrepio na pele

Espelho que exibe a imagem
Não o sentir da alma
Que exclama da omissão
No odor em seus poros
Por satisfação com nexo
Nos gemidos suados

Corpo nu
Que tacteias em vão
Para teu prazer
E nada descobres
Somente … tu

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário