domingo, 18 de novembro de 2012

ENCONTRANDO A ESCRITA





Retrato
Com pena e tinta
Em papel puro
Pedaços
De vida toldada

Desamores
Ilusões
Lágrimas choradas
Em prantos secos
Escondidos

Existência nula
Magoada
Que faz rolar
Uma lágrima amargurada
Salpicando
Letras ocultas
Manchando a tinta

Em passos lentos
Deixo voar tristezas
Sem nunca olhar p’ra trás
Pois em meus trilhos encontrei-te

Minh’alma delicia-se
No sabor de doce néctar
Por Baco encantado

O prazer d’amar…


Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

ESQUECER-ME DO TEMPO