sexta-feira, 7 de outubro de 2011

ENCANTO DO SONO


Adormeço
Entre as folhas que caiem
À luz da Lua
No altar
Onde espero
Em ansiedade
Por ti

Por entre os ramos
O luar brilhou
Ao encanto do sono
Tal como princesa abandonada
No seu Castelo de ruínas
Em vestes de baile
Sem par

Nem a Lua
Dá alento
Ao imenso sonho
De tantas fantasias
Por mim pensadas
E morrem
Nas asas da imaginação.

Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

QUANDO NOSSAS BOCAS SE UNIREM