sábado, 1 de outubro de 2011

SOLTA-SE


De repente
Solta-se
Saudade
Na ânsia
Da realidade
De um olhar de lado
Com medo de enfrentar

Mas estou aqui
No ausente
Sempre presente
Sentindo
Querendo
Nada desviando
Despertando
Vista estranhas

Ah como tudo se solta
Minha alma liberta
Voa
Numa imaginação
Louca
Deixando fantasias
Desatadas ….

Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

2 comentários:

  1. POIS NÃO AMARRE ESTAS SUAS FANTASIAS, ELAS PRECISAM ESTAR POR AI PARA QUE AS ENCONTREM E POSSAM COM ELAS ATAR NOVOS ENLACES ROMÂNTICOS DE UM AMOR ÚNICO... BEIJOS MENINA PORTO... ADOREI.

    ResponderEliminar

É NA PENUMBRA