quinta-feira, 6 de outubro de 2011

LENÇÓIS DE AMOR


Em sonhos
De mil cores
Beijos doces
Corpos enlaçados
Lençóis de cetim
Enrugados de amor
Sentido

Paixão
Colorida na tela
Onde amantes inquietos
Transbordam seu ardor
Nas bocas sequiosas
De mãos largadas
Ao afecto de querer

Corpos que vibram
Colados num só
Dádiva do instante
No prazer vivido.



Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

QUANDO NOSSAS BOCAS SE UNIREM