sexta-feira, 28 de outubro de 2011

REFLEXO SEM TI


Tacteio o espelho
Na esperança
De te encontrar
Mas apenas me vejo
Atada num desejo
Incontrolável
De um sonho
Que se vai esvanecendo
No toque frio
Da imagem

Fixo o reflexo
Como quem chama
Trazer à realidade
Devaneios ansiados
Esperados
Queridos
Mas apenas estou só
E minha mão
Pousa suave
No espelho ausente de ti


Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

1 comentário:

RASAS E ESPINHOS