sábado, 15 de outubro de 2011

GRITOS DE ANGÚSTIA


Ventos em tempestade
Revoltas da minha alma
Ecoam gritos atrozes
Lancinantes
Dolorosos

Em tortura de abafos
Cuspo sangue e dor
Dói-me o peito
Tanta dor que sinto

Alvoroço do meu ser
Lábios secos
Garganta oprimida
Nem palavras oiço
Dura espada da vida
Esventra-me
Em louca angústia.



Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCOBRIR-ME...